quinta-feira, 20 de Março de 2008

Violação/ Abuso Sexual

A título de prevenção:

- Não aceite boleia de desconhecidos.
- Ao entrar num táxi fixe discretamente a matrícula.
- Em festas ou entre amigos, não beba em demasia e não ingira substâncias que desconhece.

Em caso de violação:


- Mantenha a calma e tente fixar o maior número de indicadores que lhe permitam descrever o agressor: cor e corte do cabelo; cor dos olhos; cicatrizes; sotaque; outras características, quer do agressor, quer do veículo, se existir, como, marca, cor, matrícula, etc...
- Não faça uma higiene profunda, a nível ginecológico, sem ser vista/o por um médico ou perito.
- Preserve todas as peças de roupa que vestia na altura da violação, sem as lavar.
- Preserve qualquer objecto que lhe pareça ser pertença do agressor, mesmo uma ponta de cigarro.
- Dirija-se à esquadra da PSP, posto da GNR ou piquete da PJ, mais próximos e o mais rápidamente possível. As peças de roupa e os objectos, referidos anteriormente, são para entregar na altura da apresentação da queixa.

Caso a vítima seja criança:


- Esteja atento aos sinais exteriores manifestados pelas crianças, que podem revelar situações de abuso sexual.
- Se a criança verbalizar os factos, não dramatize, pelo menos na sua presença. A criança verbaliza de forma natural e sem ter a noção da gravidade do problema.
- Não duvide do que a criança conta. Normalmente as crianças não inventam nem têm fantasias sexuais, pelo menos até à fase da pré-adolescência.
- Procure ajuda de um psicólogo ou de um pedo-psiquiatra nos serviços de urgência dos hospitais pediátricos. Participe os factos aos órgãos de polícia criminal ou aos tribunais.